Tecnologia na agricultura: maior sustentabilidade na produção agrícola

O uso de tecnologia na agricultura nunca foi tão intenso. A produção de alimentos e fibras tem sido drasticamente transformada pelos avanços da ciência ao longo das últimas décadas. O conhecimento cada vez mais aprofundado do melhoramento genético, da mecanização, do plantio direto, dos defensivos agrícolas e de outras inovações revolucionaram a agricultura no Brasil e no mundo.

Tecnologia na agricultura

Cada vez mais ferramentas tecnológicas estão sendo incorporadas ao campo, contribuindo para uma produção de alimentos sustentável. É o caso, por exemplo, da agricultura digital, que usa a informática para otimizar o manejo e a gestão do campo. Também é possível citar a biotecnologia, que tem contribuído com a melhoria da produtividade por meio do desenvolvimento de variedades com novas características.

Uso da tecnologia na agricultura

Mas o emprego de tecnologia na agricultura não é, exatamente, uma novidade. Uma das primeiras ferramentas tecnológicas incorporadas à produção de alimentos foi o uso do sistema de posicionamento global, mais conhecido pela sigla GPS (em inglês global positioning system). Tratam-se de softwares de localização que dão coordenadas de determinados lugares na Terra por meio de receptores de sinais emitidos por satélites. Isso possibilitou a implementação de algumas outras tecnologias, como as máquinas guiadas por computadores e por satélites.

Mais recentemente, aplicativos estão sendo utilizados para monitorar plantações remotamente, via smartphone, computadores ou tablets. Além disso, sensores espalhados pela propriedade e conectados à internet são capazes de gerar um grande volume de dados que podem ser analisados e utilizados para melhorar os processos.

O mais recente salto tecnológico do setor agrícola foi a introdução de drones em diversos processos. O uso destas pequenas aeronaves não tripuladas permite monitoramento aéreo em tempo real dos processos de colheita e sensoriamento remoto mais acessível quando comparado ao realizado por satélites.

Agricultura digital drone

Benefícios da adoção da tecnologia na agricultura

Entre os benefícios do uso da tecnologia na agricultura, podemos destacar:

  • Melhora e otimiza a produção e o uso de insumos;
  • Reduz os impactos negativos no meio ambiente;
  • Aumenta a produtividade da lavoura;
  • Facilita a comunicação entre produtor, operadores, administradores, agrônomos etc com o uso de celulares e ferramentas de internet;
  • Diminui custos de acesso a serviços – seguro e crédito, por exemplo – e informação – como de mercado ou tecnológica.
  • Reduz riscos de perdas com eventos climáticos, pragas e desastres naturais, por meio de sistemas de monitoramento e de informação acessíveis.
  • Ajuda a aumentar a renda do produtor com o incremento da qualidade da produção agrícola.

Adoção da tecnologia na agricultura: plantar mais e melhor

É preciso ter conhecimento para que o uso da tecnologia na agricultura cause impactos relevantes na quantidade, qualidade e na saudabilidade do alimento produzido. O aumento da população global e a consequente pressão por mais comida tornam esse desafio urgente.

Da pré à pós-produção, as ferramentas tecnológicas podem contribuir para que se produza mais no mesmo espaço. Elas também abrem caminho para combatermos desperdícios de água, fertilizantes e defensivos.

Existem tecnologias específicas para cada momento, desde o melhoramento genético para a produção de sementes até a comunicação com os consumidores finais.

Pipeline da cadeia de produção agrícola

Pipeline da cadeia de produção agrícola; adaptado de Ting (2011)

Pré-produção

Essa etapa refere-se a processos realizados antes do plantio no campo, a exemplo do desenvolvimento de sementes. Nesse caso, não há participação do agricultor, mas de pesquisadores. Caso o produtor opte por uma semente transgênica, ele já estará utilizando tecnologia porque esse tipo de semente demanda muita ciência para ser desenvolvida. São técnicas de engenharia genética que permitem que a semente adquira características específicas, como resistência a insetos e tolerância a herbicidas.


SAIBA MAIS

Benefícios da biotecnologia para a produção agrícola


Produção

Já no campo, a tecnologia pode ser empregada nas fases de plantio e colheita. É a fase em que há participação do agrônomo, do agricultor e do responsável pela operação do drone.

Nessa etapa, são utilizadas as seguintes tecnologias:

  • Sensoriamento remoto;
  • SIG (Sistema de Informação Geográfica) para automação das etapas de plantação e colheita;
  • Drones para mapeamento da área e identificação de pragas;
  • Maquinários com piloto automático;
  • Colhedoras com dispositivos inteligentes;
  • Sistemas de navegação;
  • Diversos outros

Pós-produção

Dados coletados pelos drones e outros sensores são enviados a um computador equipado com um software de leitura dessas informações. Depois da colheita, a distribuição, processamento e consumo da safra podem ser analisados com ajuda das seguintes tecnologias:

  • Computação em nuvem, que armazena grandes volumes de dados;
  • Análises de dados para orientação de mercado e logística;
  • Dispositivos móveis e redes sociais para monitorar o mercado.

A evolução da tecnologia na agricultura: da tração animal à robotização

No início do século XX praticava-se a chamada agricultura 1.0, marcada por ser eminentemente destinada à subsistência dos produtores. À época, utilizava-se a tração animal para diversas operações agrícolas. Durante muito tempo, essa foi a tecnologia que mais causou impacto nas atividades do campo, uma vez que permitiu a introdução de ferramentas como o arado e a carroça.

Com o passar dos anos, da tração animal foi gradualmente sendo substituída pela força mecânica (motor à combustão). Foram então desenvolvidas as máquinas agrícolas que passaram a ser o símbolo da agricultura 2.0.

Na sequência veio a agricultura 3.0, caracterizada pelo uso do sistema de posicionamento global (GPS) para detectar e manejar variações dentro de um mesmo espaço produtivo. Ou seja, de acordo com a necessidade de cada local, passou a ser possível fazer diferentes recomendações para adubação, irrigação e etc.

A agricultura digital 4.0 incorpora a automação e a conectividade. São utilizadas máquinas, veículos autônomos, drones, robôs e animais com sensores. As informações recolhidas vão para a nuvem e formam um valioso banco de dados que permite uma tomada de decisão muito mais informada. Esse sistema é conhecido como agricultura inteligente ou “smart agriculture”.

E com a velocidade que as mudanças ocorrem, hoje já se fala também em agricultura 5.0. Nesta, além das tecnologias avançadas relacionadas à automação e conectividade, leva-se em consideração a autonomia (robotização) de gestão do sistema, como o uso de piloto automático na operação das máquinas.