Canarana abre oficialmente a colheita brasileira da Soja

Na passagem da Caravana Soja Brasil pelo município de Canarana (MT), no dia 19 de janeiro, foi aberta oficialmente a colheita brasileira da soja na safra de soja 2017/2018. Segundo previsão da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), 110 milhões de toneladas do grão devem ser colhidas neste ano. O ministro interino da Agricultura, Eumar Novacki, prestigiou o evento pilotando uma das colheitadeiras que faz a retirada simbólica da oleaginosa do campo. Além das festividades, o público de aproximadamente 500 produtores acompanhou as discussões sobre a relação entre produtividade e manejo.

A diretora-executiva do Conselho de Informações sobre Biotecnologia (CIB) e coordenadora do programa Boas Práticas Agronômicas (BOAS), Adriana Brondani, fez a primeira palestra do dia, destacando os benefícios obtidos por produtores em 20 anos de adoção de transgênicos no Brasil. De acordo com a executiva, 94% da soja plantada no País já possui essa tecnologia. Na sequência, quem assumiu o púlpito foi o comentarista e consultor do Canal Rural, Dejalma Zimmer, que apresentou a palestra “Como colher mais sem aumentar os custos de produção”. Para Zimmer, o segredo é treinamento, maquinário, respeito à janela de semeadura ideal e um manejo específico para a área. Houve ainda as participações do engenheiro agrônomo Antônio Luis Santi, do geólogo e pesquisador da Embrapa Éder Martins e do diretor-executivo da Aprosoja Brasil, Fabrício Rosa.

Canarana

Localizada no nordeste do Mato Grosso, Canarana foi colonizada por imigrantes do Sul do Brasil na década de 1970. O nome de Canarana foi escolhido por Norberto Schwantes, um pastor luterano, gaúcho de Carazinho, por ocasião da elaboração do projeto que criaria o núcleo de colonização, em 1972.  O nome faz referência a uma espécie de capim típica da região norte.

 

Fonte: Redação BOAS, 22 de janeiro de 2017