Cana Bt: tudo o que você precisa saber sobre esta tecnologia agrícola

 

A Comissão Técnica Nacional de Biossegurança (CTNBio) aprovou, em junho de 2017, a Cana Bt. Isso quer dizer que, após quase oito anos de pesquisa, essa tecnologia já pode ser disponibilizada aos agricultores brasileiros. Trata-se da primeira cana transgênica completamente liberada para comercialização no mundo.

A planta obteve aprovação para uso comercial após ter sido considerada segura sob os aspectos vegetal, ambiental e de saúde humana e animal.
Cana Bt

Fatos sobre a cana-de-açúcar:

  • O Brasil lidera o ranking das exportações de cana-de-açúcar, com mais de 500 milhões de toneladas produzidas anualmente. Isso corresponde a 45% da produção mundial.
  • A cana-de-açúcar geneticamente modificada pode resultar em maior produtividade para o agricultor e em uma participação ainda maior do País no mercado global dessa commodity.
  • Com aproximadamente 10 milhões de hectares plantados com a cultura, somos hoje um importante fornecedor de açúcar para cerca de 150 países.

Aqui você vai encontrar todas as informações sobre o desenvolvimento da cana Bt, benefícios no combate à broca-da-cana, principal praga que ataca as plantações.

 

Cana Bt

Cristais-de-bt

Cristais de Bt

A cana Bt é a cana-de-açúcar que recebeu um gene da bactéria Bacillus thuringiensis, daí a denominação Bt. Esse microrganismo encontrado no solo produz proteínas inseticidas tóxicas para alguns insetos – tais como: borboletas e mariposas (Lepidoptera), moscas e mosquitos (Diptera), besouros (Coleoptera) e vespas, abelhas e formigas (Hymenoptera) – mas sem qualquer efeito sobre outros organismos e sobre o homem. Desenvolvida pelo Centro de Tecnologia Canavieira (CTC), a variedade é resistente à broca-da-cana.

A aprovação desta tecnologia na cana é recente, mas a utilização do gene Bt na agricultura acontece há mais de 15 anos. O DNA desse mesmo microrganismo já protege variedades de soja, milho, algodão e canola do ataque de insetos no Brasil e no mundo. Muito antes disso, a própria bactéria já era usada em formulações de bioinseticidas pulverizadas nas mais diversas lavouras, inclusive as orgânicas.

 

Broca-da-cana

broca-da-cana

Broca-da-cana | Crédito: Embrapa

A broca-da-cana (Diatraea saccharalis) é uma espécie de mariposa da ordem lepidoptera considerada a principal ameaça as plantações de cana-de-açúcar no Brasil. Especialistas avaliam que as perdas causadas pela broca chegam a até R$5 bilhões por ano e que os índices de danos têm aumentado nas últimas safras. Ela impacta a qualidade do açúcar e pode causar aumento dos gastos com inseticidas.

A broca é um inseto que tem sua metamorfose completa, ou seja, passa por todas as fases de uma metamorfose: ovo, larva, pupa e adulto. A duração do seu ciclo biológico é inconstante e depende de fatores como clima e planta hospedeira. A praga causa danos diretos e indiretos para a cultura canavieira e, consequentemente, influencia na qualidade e na quantidade dos produtos finais para uso e consumo.

A praga também auxilia indiretamente a entrada de microrganismos (principalmente fungos) causadores da inversão da sacarose na planta. A inversão da sacarose é a quebra da sacarose (açúcar) em duas partes: glicose e frutose. Isso afeta a qualidade da produção do açúcar.


SAIBA MAIS

Broca-da-cana: a praga que compromete a qualidade do açúcar


Em plantios mais novos, quando a cana ainda é jovem, a ocorrência de ataques é menor. Conforme a planta vai crescendo, maior é a probabilidade de haver um ataque severo de mariposas. O ataque também varia conforme a variedade da cana e a época do ano.

As plantas que não passaram por nenhum corte, chamadas de canas-plantas, tendem a sofrer ataques mais fortes em comparação com as socas, plantas que já sofreram cortes. Isso acontece porque o preparo do solo elimina os inimigos naturais da broca e porque, como crescem mais, tem maior superfície exposta aos insetos.

 

O Açúcar de Cana Bt

A proteína Bt tem longo histórico de segurança alimentar, entretanto, ela não faz parte do açúcar ou do etanol, que são substâncias puras e não contém a proteína na sua composição. Estudos comprovam que o açúcar e o etanol obtidos por meio da cana Bt são idênticos aos que derivam da cana convencional. Isto é, a variedade transgênica pode ser utilizada exatamente para os mesmos fins que a cana convencional.

Conforme atestado por cientistas, o gene Bt e as proteínas expressas por ele inseridas na cana são completamente eliminados nos produtos derivados da cana. Além disso, não há pesquisas que identifiquem efeitos negativos em relação aos danos ambientais: composição do solo, biodegradabilidade ou insetos que não sejam pragas – como a broca.

Confirmando o parecer dos cientistas no mundo inteiro, em 2018 a Health Canada, órgão que estabelece padrões e políticas de segurança alimentar no Canadá, afirmou que o açúcar proveniente da cana Bt é tão seguro e nutritivo quanto o proveniente da cana convencional.

 

Adoção de Cana Bt

A implantação da cana geneticamente modificada permite a expansão da cultura da cana no Brasil. Muitas áreas ficam impedidas de realizar o plantio pois o inseto-praga não consegue ser controlado. A utilização dessa tecnologia ajudará o País a manter sua posição de destaque na produção de cana, açúcar e etanol.

A cana transgênica pode ser cultivada em toda a região Centro-Sul do Brasil, em solos de alta e média fertilidade. Entretanto, onde há menos disponibilidade de água, a planta deve ser utilizada em áreas irrigadas ou de vinhaça.

Os estudos realizados durante o desenvolvimento da variedade Bt mostram que ela é tão produtiva e possui o mesmo teor de sacarose que as cultivares comerciais disponíveis atualmente. É possível dizer, portanto, que o potencial produtivo da cana Bt e da cana convencional é similar. Ainda sim, o controle mais eficiente e a redução das perdas em virtude do ataque de pragas podem resultar em aumento de produtividade em biomassa da cana Bt.

Além disso, a adoção da cana Bt pode também acarretar em menor perda de açúcar nos colmos, principalmente nas regiões onde esta praga ocorre em índices mais elevados. O mais relevante neste caso é a maior eficiência de controle, menor número de operações agrícolas e consequentemente o menor custo de produção por tonelada das áreas que serão cultivadas com a cana transgênica, quando comparadas às áreas cultivadas com cana convencional.


Os estudos realizados com a cana Bt comprovam que a proteína inseticida nas folhas das plantas tem se mantido em limites mais que suficientes para um controle eficaz da broca, da emergência à colheita.


 

Manejo da Cana Bt

O sistema de plantio e colheita da cana Bt é o mesmo utilizado para a cana convencional. A eficiência das operações com a variedade transgênica, porém, deve ser maior. Isso porque, com o controle mais eficaz da praga, a planta sofre menos danos.

É importante ressaltar que, quando um organismo é submetido a um método de controle ao longo de muito tempo, por exemplo pragas quando são submetidas ao uso de inseticidas ou à adoção transgênicos resistentes a insetos, é possível que haja a seleção de indivíduos resistentes.

Assim, o uso de qualquer metodologia de controle de maneira indevida, sem as medidas de manejo correspondentes, pode levar à seleção de organismos resistentes. A fim de reduzir o risco deste processo acontecer, é necessário utilizar as técnicas de manejo integrado de pragas, dentre as quais a adoção de áreas de refúgio.

 

Benefícios da cana Bt

A adoção da Cana Bt tem impacto positivo na lavoura e no meio ambiente. Conheça os benefícios da cana transgênica. São eles:

  • Resistência à broca-da-cana

Evitando gastos desnecessários com inseticidas para controle da broca-da-cana e, consequentemente, trazendo vantagens econômicas para o produtor. Isso economiza tempo, pois o produtor não precisa fazer várias aplicações, e também reduz a produção de lixo, pois serão utilizadas menos embalagens de inseticidas;

  • Economia de água e de combustível

Como o agricultor não precisará aplicar inseticidas com a mesma frequência, diminui o uso do trator na lavoura, reduzindo, consequentemente, o uso de combustível. Isso também resulta em menos poluição do ar, de rios e do solo. A Cana Bt também ajuda a economizar água, uma vez que o produtor não precisa pulverizar a lavoura com tanta frequência;

  • Mais segurança para o agricultor

A menor exposição do trabalhador aos inseticidas impacta positivamente em sua saúde. Estudos revelam que a grande maioria das intoxicações por defensivos agrícolas se dão por exposição direta, não pelo consumo dos alimentos tratados com essa tecnologia.

 

Outras culturas Bt

No Brasil, soja, milho, algodão e cana contam com a tecnologia Bt para ajudar no combate às pragas e, consequentemente, manter ou aumentar a produtividade da lavoura. As folhas das culturas nas quais essa inovação está presente expressam uma proteína inseticida. Quando ingeridas pelo inseto-alvo, essas proteínas se ligam à parede do intestino causando danos ao sistema digestivo e levando à morte.

A produção comercial da bactéria Bt teve início na França, no fim da década de 1930. Na década de 1960, passaram a ser utilizados os esporos do microrganismo em pulverização sobre as lavouras e, em 1999, 80% de todos os bioinseticidas vendidos no mercado dos Estados Unidos apresentavam Bt em sua composição, inclusive os destinados à agricultura orgânica. Em 2015, mais de 83 milhões de hectares já haviam adotado a cultura geneticamente modificada resistente a insetos-praga.

No Brasil, a implementação dessa tecnologia só foi possível devido à aprovação da Lei de Biossegurança, em 2005, que regulamentou todos os aspectos da produção de organismos geneticamente modificados no país. A partir de então, as sementes Bt tiveram rápida adesão no país, beneficiando os agricultores.