Controle de plantas daninhas e voluntárias

Plantas daninhas

Algumas plantas daninhas podem hospedar insetos-praga das culturas subsequentes, permitindo que uma quantidade significativa sobreviva nas áreas de cultivo no período de entressafra. Além disso, ervas daninhas podem ser fontes de lagartas em estágios mais avançados, as quais apresentam maior dificuldade de controle pela tecnologia Bt.

Entre as práticas que podem contribuir para o melhor controle das ervas daninhas, assim como para a prevenção da resistência aos herbicidas estão:

  • Não deixar áreas em pousio: use práticas integradas de manejo de plantas daninhas durante o ano, focando o manejo do banco de sementes (rotação de culturas e coberturas);
  • Começar a cultura no limpo: faça um controle efetivo antecipadamente no pré-plantio e, se necessário, use um pré-emergente em áreas de elevada pressão de plantas daninhas;
  • Utilizar a dose e o momento corretos de aplicação dos produtos no seu sistema de manejo, observando as melhores condições de aplicação;
  • Usar o manejo pós-colheita: utilização de associação de herbicidas com diferentes mecanismos de ação;
  • Monitore os resultados da estratégia de manejo implementada, evitando o estabelecimento de populações remanescentes de plantas daninhas na cultura;
  • Evite a dispersão de sementes pelos implementos agrícolas.